sexta-feira, agosto 25, 2006

Ele há gente...

A paternidade dá-nos uma visão diferente de muitas coisas.
Há situações que anteriormente me passavam completamente ao lado e que agora mexem comigo.
Vem isto a propósito de situações que são mais ou menos recorrentes, e que têm a ver com a irresistível vontade de muita gente (muita mesmo) de arreliar solenemente os petizes.
A pequena, já é bem sabido, tem um caso de amor assolapado pela chupeta.
E esse amor é profundo, de tal maneira que se lha tiram das duas uma: ou há choradeira e berraria ou então há umas trombas que nos fulminam com o olhar.
Acontece que, não raras vezes, muita gente insiste em chegar ao pé da cachopa e sacar-lhe o dito objecto.
Mas o mais incrível é que isto também acontece da parte de gente que eu nunca vi na minha vida.
Já perdi a conta às vezes em que levo a cachopa pela mão e de repente alguém que vem na nossa direcção, se baixa e lhe saca a chupeta enquanto diz: "Uma menina tão bonita e de chupeta." E dizem isto num tom de voz que parece que lhes assiste toda a razão do mundo.
Mas eu pergunto-me o que raio quer esta gente? Será que a felicidade de um bebé é assim algo que incomode tanto? Deixem lá andar a pequena com a chupeta! Eu já desisti de lha tirar. Quando ela entender que já chega, ok.
Mas depois da chupeta eis que, desde que o Pedro nasceu, a brincadeira é outra.
Quase toda a gente (honra seja feita às excepções) quando vê o pequeno e a irmã está por perto, vai ter com ela e diz: "Vou levar o teu mano comigo."
Escusado será dizer que é o suficente para uns guinchos e umas frases do género: "Não vai nada."
E nesta fase dou graças a Deus por ela só ter dois anos e o léxico de vernáculo ser inexistente nesta idade.

1 Comments:

Blogger mamã gaivota said...

Não importa o que outros possam fazer ou pensar. No que diz respeito à Mariana, sei que ela terá sempre um pai e uma mãe que estão dispostos a esperar pacientemente pelo momento em que a "rolha" deixe definitivamente o "buraco". Isto porque o amor que nos une o impõe.

31/8/06 14:58  

Enviar um comentário

<< Home