segunda-feira, outubro 30, 2006

Ponto de Ordem

Às vezes dou por mim a ler posts antigos que escrevi neste blog e fico com a impressão de que a vida com a Mariana é uma animação dos diabos e que isto cá em casa é uma grande reinação.
Só que acho que corro o risco de dar uma ideia errada da coisa.
E isso é algo que eu, de todo, quero evitar.
É evidente que ela sozinha enche uma casa.
Enche a casa, a paciência, a mona e sei lá que mais.
Já houve n vezes em que até encheu o prédio com a potência daquela voz.
Mas o processo educacional da cachopa é algo extraordinariamente difícil.
Por diversas razões, umas relacionadas com aquela feitiozinho dela e outras relacionadas connosco como sejam o facto de trabalharmos por turnos, ou por agora termos que nos preocupar também com o Pedro, ou por milhentas outras razões.
A pequena vive permanentemente a "cento e cem" e eu, muitas vezes, expludo e sou tremendamente injusto com ela.
Mas isso acontece precisamente porque me (nos) falta um pouquinho mais de espaço para respirar um pouco. Ela não nos permite muitos momentos para nós.
Ou serei eu que quero momentos demais? Se calhar tenho que rever aqui algumas coisas...
É uma das coisas pela qual gosto de ter o blog: permite-me parar para pensar um pouco enquanto escrevo.
Adiante....
Acontece é que depois deste gás todo, ela sai-se muitas vezes com uns carinhos que me deixam com um sentimento de culpa ainda maior...
Hoje fui a um dos meus dois treinos semanais de futebol. Levei-a até aos meus pais, coisa que ela adora.
No entanto quando cheguei ela estava chorosa, soluçante e a queixar-se do "beiuio" na janela.
É que ela agora anda permanentemente aterrorizada com barulhos que ouve, particularmente no quarto dela, na sua grande maioria provenientes do quarto dos vizinhos do lado.
Esta vida actual é engraçada: há semanas que ando a tentar cruzar-me com eles para lhes pedir que afastem um pouquinho a cama da parede mas, pura e simplesmente, não os vejo.
Dizia eu que ela estava chorosa, mas no meio dos soluços abraçou-se a mim e disse-me "Que(r)o ir ter com a mamã e com o Ped(r)o Nuno."
É por cenas destas que ela muitas vezes me emociona de uma maneira que só ela consegue e que eu dou por mim a pensar que tenho que me munir de muito mais paciência para com ela.
Só que... não é fácil. Mesmo nada fácil.
Olha filha... atura-me.
Eu amo-te muito!

PS: Ó Pedro vai-te preparando para este teu pai.

9 Comments:

Blogger mamã gaivota said...

É como tu. Às vezes tb nos móis a paciência mas tens estes bytes de ternura que faz com que não queiramos nunca destronar o ghay cá da casa. É a tua sorte ;). Beijo grande.

30/10/06 22:46  
Blogger mamã Xana said...

Compreendo-te tão bem!
Uma das razões porque gosto de te ler é rever na M. a nossa C., miúdas de personalidade forte e vincada,que querem muita atenção e que por vezes nos tiram do sério. Mas extremamente carinhosas, ternurentas e que nos deixam o coração cheio.
Com os meus dois anos de avanço posso-te dizer que isto não fica mais fácil, mas garanto-te que o amor e o orgulho cresce todos os dias. :)

31/10/06 13:53  
Blogger SusanaMama said...

As crianças têm uma grande capacidade de amar. E quando o demonstram ainda mais. Mas não invalida de muitas vezes precisarmos mesmo do nosso tempo ou de lhes podermos chamar a atenção em determinadas situações.

31/10/06 14:39  
Anonymous Sara a Princesa said...

Tão querida que ela é... As crianças ensinam-nos o que é o verdadeiro amor e sobretudo a amar!


Era só para desejar um bom feriado!!

beijinhos

1/11/06 00:39  
Blogger *Belynha* said...

Os miúdos têm destas coisas!
E quererem marcar bem o espaço deles lá em casa só mostra que, quando crescerem, vão saber bem o que querem.

Beijinho e bom feriado!
VOu voltar! Volta tb!

1/11/06 01:37  
Anonymous dianamãe, rafael e afonso said...

Já o outro diz, que um bom pai, não é sinónimo de pai perfeito.

É assim mesmo.
Viver um dia de cada vez com a certeza que o fazemos o melhor que sabemos e conseguimos.
Querendo aprender a ser melhor diariamente.

Jinhos grandes

1/11/06 16:05  
Blogger Carla O. said...

Olá PaiBabado! :)
Cheguei até cá pelo blog da susanamama e posso dizer que já me diverti bastante enquanto lia.
Acho que o que commpensa mesmo os nosso smomentos de falta de paciência e de testes contínuos que os nossos pequenos lhe fazem são estes momentos de amor e ternura genuínos - que não só nos amaciam, como tb nos ensinam tudo sobre amor incondicional :)
Bjs

1/11/06 21:02  
Blogger Rita said...

Acho que todos passamos um pouquinho pelo mesmo. Cada um com a sua Estória, mas com um final muito parecido.

Somos humanos acima de tudo.

Boas doses de paciência recomendam-se aqui tb para este lado.

2/11/06 00:27  
Blogger Tigas said...

Ideia:
Pequeno bilhete debaixo da porta com o texto:
- "Olá. Eu sou a Mariana, tenho 2 anos e 3 meses e sou a vossa vizinha, a que está mesmo na parede ao lado. Agradeço encarecidamente a vossa disponibilidade para me leccionarem as aulas de tambor, mas queria suspender indefinidamente a minha inscrição, já que contactei o responsável dos "Toc'á Rufar" e foi-me dito que não aceitam membros com a minha idade. Obrigado".

6/11/06 10:30  

Enviar um comentário

<< Home