quinta-feira, janeiro 18, 2007

Ditos populares

Se há coisa que aprecio na vida é a simplicidade.
Mas dentro deste tema há um com que não vou muito à bola: os ditos populares.
Porque se procurarmos com calma verificamos que se a vida fosse vivida dessa forma era uma coisa sem sabor, um bocadinho insípida. No fundo era só esperar para ver.
Exemplos: "Candeia que vai à frente alumia duas vezes" vs "Os últimos serão sempre os primeiros"; "Quem espera desespera" vs "Quem espera sempre alcança"...
Vem isto a propósito do que vou sentindo durante esta semana. A pequena está doente.
Felizmente tal não tem sido nada comum. Só me lembro de uma pequena febre quando ela fez seis meses, de resto tem tido uma saúde de ferro.
Mas esta semana apareceu, provavelmente, uma virose (uma amiga minha diz que uma virose é o nome de todas as doenças que os médicos não conseguem diagnosticar): febre e diarreia.
Claro que muitas pessoas dizem logo: "ela tem sorte, com dois enfermeiros em casa..."
Pois... sim e não!
Sim, porque evidentemente temos conhecimentos para não desatar numa correria louca e desenfreada para a Urgência do hospital (atulhada de miúdos doentes, o que provavelmente lhe causaria mais dano).
Controlar a febre, ver sinais de desidratação, mudar fraldas frequentemente (muito frequentemente, demasiado até de tal forma que se calhar tenho que pedir um empréstimo no banco para fraldas), pomada para prevenir assaduras e... mimo. Muito!
Não, porque não há curso nenhum que nos ensine a lidar com o nosso sofrimento.
Na nossa profissão aprendemos a lidar com o sofrimento dos outros (com um brutal desgaste psicológico a que ninguém liga, mas enfim...), mas lidar com o nosso sofrimento (porque o sofrimento dos meus filhos é o meu sofrimento) é bem diferente.

E tenho que dar a mão à palmatória e aceitar que "Pimenta no cu do outro é refresco no meu".

10 Comments:

Anonymous morena_mau_feitio said...

Com certeza com esse tratamento que daqui a uns dias está curadissima. As melhoras... para ela.

18/1/07 12:29  
Blogger Vanessa said...

Realmente é complicado quando eles estão doentitos. Trocávamos de lugar com eles se pudessemos.
As melhoras da pequena.

18/1/07 13:22  
Blogger Bekas said...

Sabes o que eu acho? As pessoas que trabalham na área da saúde, principalmente médicos e enfermeiros, sofrem muito mais quando têm os seus filhos doentes, do que pais de outras àreas, que têm apenas conhecimentos básicos de saude. Quando é um pai médico, por ex., uma dor não é só uma dor...começam logo a pensar nas 1001 hipoteses de doenças com aqueles sintomas, com tendência sempre para as mais graves.
Também és assim?
As melhoras rápidas da pequena!
;)

18/1/07 14:21  
Blogger Ana Sousa said...

Ora aí está!

O ultimo ditado disse tudo!

As melhoras de menina.

18/1/07 15:36  
Blogger Cláudia said...

lha não há duas sem três... mas à terceira é de vez...
lol
As melhoras à pequena...

18/1/07 17:10  
Blogger Rodrez said...

Parabéns pelas "estórias" (agora percebo pq não consegui este título para o m/ Blog) e, naturalmente, as melhoras rápidas...essas malvadas viroses (a palavra da moda para o diagnóstico médico de "eu não sei o que tem, aguente sem desesperar que passa").

19/1/07 12:15  
Blogger Sara a Princesa said...

Espero que não seja nada de grave e que passe rápido.

As melhoras


Beijocas

20/1/07 21:31  
Anonymous cris said...

Um beijo enorme da madrinha para a minha pequenina...

21/1/07 20:02  
Blogger SusanaMama said...

Compreendo perfeitamente...eu nunca vou conseguir lidar bem com o sofrimento deles, seja ele qual for. Mas também acredito que temos a capacidade enorme de sermos muito fortes e seguir sempre em frente, e de estarmos sempre lá!

23/1/07 14:15  
Anonymous dianamãe, rafael e afonso said...

Pai e Mãe na verdadeira essência das palavras são das profissões mais completas e com maior duração contratual à face da terra.

Pode ser completado com outras profissões, mas perante a dor de um pedaço da nossa alma, fica reduzido ao poder de reacção natural não teórica.

jinhos e gostei muito do texto

23/1/07 15:38  

Enviar um comentário

<< Home