terça-feira, janeiro 23, 2007

Montanha russa

A vida de quem tem dois filhos, em alguns dias, assemelha-se a uma montanha russa emocional.
Tenho momentos em que me sinto um pai bestial. Normalmente quando lá desencanto paciência para pintar uns desenhos com a cachopa, jogar às escondidas pela casa ( e o conceito de escondidas dela é bem sui generis), ver pela enésima vez um filme do Pooh, ler um livro da Anita ou pintar a Kitty, jogar ao Bob ou à Dora no pc.
A recompensa vem quando ouço a pequenita a dizer "Ado(r)o-te pintar contigo, papá" ou simplesmente "Ado(r)o-te papá":

O problema é quando há pouca disponibilidade.
Nessas alturas passo de "bestial a besta" em nanossegundos: berro, gesticulo, expludo...
E com mais um salto de linguagem que ela deu nos últimos tempos, agora sou rapidamente reduzido à minha insignificância quando ouço "Eu não chateio-te papá, eu não chateio-te. Assim ficas contente?"

E aquela vozinha que me fica a martelar o juízo enquanto diz "És uma besta" ganha uma potência e durabilidade avassaladoras...

3 Comments:

Blogger Ana Sousa said...

Já me aconteceu tantas vezes...

24/1/07 09:20  
Blogger Cláudia said...

É como se fosse um eco que se repete muitas vezes não é?
Pois...

24/1/07 10:39  
Blogger Cristina said...

Não sou mãe... (ainda sou uma "garota"), mas sei reconhecer um pai fantástico quando o vejo. E ao reconheceres isso... és um pai bestial!

Beijinhos e desculpa a invasão.

15/2/07 11:52  

Enviar um comentário

<< Home